Pesquisar este blog

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

MODA DE TATUAGENS

Moda da tatuagem

Elas estão por todos os cantos: do jovem roqueiro ao hippie, do surfista à moçada da geração hip hop. A tatuagem virou moda com seus dragões, sereias, corações, anjos, luas e sóis; as mais diversas representações de sentimentos, ideologias, crenças, misticismos ou apenas para deixar o corpo mais bonito.
Hoje a tatuagem saiu da marginalidade. Vê-se todo tipo de pessoas usando. Não é característica apenas de pequenos grupos, nem sinal de pecado, de rebeldia. Hoje
é apenas decoração do próprio corpo.
Muitos tatuadores fazem de forma correta, mas ainda há muitas clínicas amadoras. Precisa-se de muitos cuidados ao se fazer uma tatuagem e um detalhe é a tinta. A tinta não pode ser reaproveitada por que o vírus da Hepatite C pode ser transmitido por ela. Não basta usar agulha descartável, a tinta também tem que ser. Pouca gente sabe disso.
De tão comum, a tatuagem virou um acessório do corpo. É claro que o preconceito ainda existe e que o exagero talvez se torne uma dor de cabeça na vida adulta. Em carreiras conservadoras, como medicina e direito, a tatuagem pode ser encarada como desvario ou um perigoso sinal de desleixo, o que não quer dizer que médicos e advogados não possam ter uma. Na hora de escolher o lugar, é só dar preferência a locais do corpo fáceis de esconder com roupa.

A panturrilha, a parte interna do antebraço e o ombro são as regiões preferidas dos garotos. Já as meninas tatuam mais o tornozelo, a nuca, a virilha e a base da coluna vertebral. Os bons estúdios (locais onde se fazem tatuagens) são limpos e utilizam material descartável. Como tatuar virou moda, surgiram muitas arapucas com gente mal preparada trabalhando sem assepsia. Portanto, todo cuidado é pouco. Fazer tatuagem num estúdio qualquer, nem pensar. Não vale a pena correr o risco de sair de lá com alguma doença grave, como Aids ou hepatite B.
Para os arrependidos, a medicina sempre guarda uma segunda chance. Ou quase. Tirar a tatuagem dá trabalho e custa caro. E o resultado nem sempre costuma ser perfeito. O método mais eficaz ainda é o laser. Só que os feixes agem melhor em cores escuras. A cor mais fácil de retirar é o preto, e as mais complicadas são as mais claras e parecidas com o tom da pele, como amarelo, laranja e vermelho. Nesses casos, ainda vale a sentença de que, uma vez feita a tatuagem, é para sempre.
Borracha na tatuagem
É possível fazer limpeza da pele com raio laser, raspagem mecânica ou química (peeling) ou cirurgia plástica.
Nos locais em que a pele é mais fina, como no rosto ou no antebraço, é mais fácil apagar os desenhos.
Nos pontos em que há bastante pele, é possível trocar a tatuagem por uma pequena cicatriz, fazendo uma cirurgia.
Apagar a tatuagem fica bem mais caro que fazê-la: o custo da remoção varia de 1.000 a 6.000 reais.
A cor vermelha é a mais difícil de ser apagada.
É por isso que não é recomendado tatuar nome de namorados (as) e afins, pois quando o amor acaba, na maioria das vezes, fica o rancor! E como fazer para esconder a “marca” da paixão? Nomes tatuados devem ser escolhidos daqueles amores verdadeiros (pai, mãe e filhos), relacionamentos que nunca se acabarão. No mundo dos famosos vários artistas já se arrependeram de ter feito tatuagem com o nome do amado ou da amada, só que eles têm dinheiro para passar a borracha no passado.

Aqui no Blog tem um link de Dermatologistas falando sobre retirada de tatuagem.

Nenhum comentário:

oi

;

COPIE O LINK


Ocorreu um erro neste gadget

ON

Link-me

blog Pictures, Images and Photos" border="0" />

giro pelo mundo

La isla Bonita