Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Transformar a raiva

Talvez os mais fortes sentimentos que o ser humano experimente sejam a raiva e a paixão. Não estou falando, aqui, de profundidade, ou valor, mas de força, mesmo. A raiva e a paixão são dois vulcões poderosos, que parece incontroláveis.

A paixão pode ser forte, mas é doce. Já raiva, a vontade de agredir, deixa um gosto amargo. Quando sentimos raiva somos força pura. Mas quando o momento passa, nos sentimos exaustos. Alguns se sentem culpados, por ter permitido tal sentimento aflorar. Outros se sentem magoados com a pessoa que causou a explosão de raiva.

Prometemos não sentir mais raiva - até que haja a próxima explosão de rancor, causada pelo engarrafamento de trânsito, o chefe grosseiro ou seja lá o que for.

Será que não tem jeito? Será que estamos condenados, mesmo os que desejam viver uma vida mais espiritual, a conviver com esse demônio solto dentro de nós?

A resposta: tem jeito. Basta aprender com o ditado que diz "se você não consegue vencer um inimigo, una-se a ele. A raiva é poderosa? Pois vamos tratar de aproveitar esse poder, usar o vulcão de energia que fica disponível cada vez que sentimos raiva.

Como? É isso que ensina - entre muitas outras coisas maravilhosas - Piero Ferrucci*, no livro "O que podemos vir a ser". No capítulo "Tigres da fúria - os usos e abusos da agressão", em que analisa como lidar com a raiva, ensina um ótimo exercício de transformação da energia agressiva.
Vejam o passo a passo, apliquem e sintam os resultados.

Transformação da Energia Agressiva
(abaixo, transcrição de texto de Piero Ferrucci, no livro "O que podemos vir a ser", pg. 107):

1 - Escolha um projeto ou uma atividade á qual você quer dar mais "gás".

2 - Deixe de lado tal projeto, por enquanto, e entre em contato com seus sentimentos agressivos. Sinta seu vigor, sua vibração, o efeito que têm sobre o seu corpo e, talvez, os danos que lhe causam. Dê a eles, digamos, espaço - isso é, observe-os sem qualquer julgamento, sem rotulá-los imediatamente.

3 - Neste ponto, percebam que estes sentimentos constituem energia à sua disposição, energia que é preciosa e pode fazer coisas. Ela pode ferir, mas também pode tornar-se a força propulsora para o projeto ou atividade que você escolheu.

4 - Imagine nitidamente, agora, que você se encontra no meio de seu projeto ou atividade
Relembre, com sua imaginação, todos os detalhes que puder. Imagine os movimentos que envolve, veja-os, porém, animados e intensificados pela vitalidade que você escolheu investir neles.


* Piero Ferrucci é um psicólogo italiano seguidor da Psicossíntese, linha da psicologia que procura
não só entender os nossos problemas, mas mostrar caminhos para o nosso crescimento
psicológico e espiritual.

Nenhum comentário:

oi

;

COPIE O LINK


Ocorreu um erro neste gadget

ON

Link-me

blog Pictures, Images and Photos" border="0" />

giro pelo mundo

La isla Bonita